quinta-feira, 15 de maio de 2008

O Contrário do amor.


Cmomiℓ: amor também acaba
Toop: sei la... Não sei se morre. Mas creio que ele vai mudando, e se tornando outras coisas. E um dia sim, depois de muito tempo ele se extingue... E fica só a indiferença
C
momiℓ: aff
C
momiℓ: indiferença, não!
Toop: ai Camõ!... O contrario do amor é a indiferença
C
momiℓ: é o ódio
Toop: é nada.

É tudo. Tudo de ruim que possa se pensar em relação de uma pessoa, simplesmente não é amor. Não é ternura, carinho e estima por alguém. É o contrário de amar alguém. Mas... Como saber quando o amor acabou? Como saber quando as opções não são mais válidas? Quando a vida já não brilha para aqueles lados?

Minha lindona Camomila acredita fielmente que o contrário do amor é o ódio, que a raiva deixa bem claro que já não existe nenhum tipo de sentimento nobre no coração. É quando a alma se entrega ao vazio. “eu não sou indiferente a nenhuma pessoa que já gostei, o que dirá as que eu já amei. Na falta de amor, pode-se dar lugar a outros sentimentos como a amizade, a raiva etc.”

Mas comigo é diferente, sei lá. Creio que o contraponto do amor seja mesmo a indiferença. A ausência total de todo o tipo de sentimento, a displicência completa em relação ao ex amor. “ódio é quando você se importa tanto com alguém... que por algum motivo ela lhe irrita. Mas indiferença, é não saber mais da pessoa... e quando isso não faz mais diferença.”

Pois é... Sendo indiferente ou não, tendo o ódio como único guia ou não. O interessante deste papinho peculiar, foi que chegamos á conclusão que o todo o afeto tem um finzinho sim! Claro, não me refiro ao digno e nobre amor verdadeiro, amor da vida, a cara metade, metade da laranja... Refiro-me aos romances diários que colorem um pouquinho os nossos dias.

E cara, se Deus fez o amor. Quem cozinhou foi o capeta! Por isso aproveite o lado bom das coisas, a leveza de cada minuto. Saiba ver quando as coisas acabaram e parta para outra, siga outro caminho e tenha outros relacionamentos. Pois... do senhor capeta, só me interessam as festas e as bebidas! Porque a dor e o sofrimento já não pertencem mais á este corpinho!

15 comentários:

forever disse...

ah, não dá pra evitar a dor...mas é bom saber que a dor passa, que o amor que fere também cura, que a vida é surpreendentemente inusitada.
E o ódio, na minha modesta opinião, nem dá pra ser o contrário de amor pois faz parte do que o compõe... já a indiferença ... hum...mata aos poucos...
vc escreve muiitoooo, me faz refletir...que booom! adoro

muitos beijos

te cuida menina

Camomila disse...

Anjo, eu realmente pensei muito em nossa conversa e cheguei a uma conclusão: o contrário do amor é, sim, a indiferença! Engraçado, descobri isso por experiência própria.... descobri que consigo sentir indiferença por alguém que tanto amei, quem diria! E confesso que adorei! rsrsrsrs...
Que conversa produtiva! Por isso que te amo e te admiro. Obrigada por me fazer pensar!
Beijocas

Salve Jorge disse...

O contrário de amor
É roma...

Salve Jorge disse...

O próximo é Os Mutantes.. (já está lá aliás..)

Alice Reis disse...

eu concordo com vc.. o contrário é a indiferença! ódio é um tipo de amor!

"o ódio é o fluído do amor, qdo o cortamos"

bjooooo!

Karina disse...

Assim como não existe a escuridão, mas sim a falta de luz. Acho que o contrário do amor não é nem a indiferença nem o ódio, mas sim a falta de amor.
E, definitivamente, o pior sentimeno que um ser humano pode nutrir por outro é a indiferença.
Belo texto para se pensar.
Bjos

Oliver Pickwick disse...

Concordo com você, pequena Toop. O contrário do amor de fato é a indiferença.
Quanto ao ódio, este é um dos componentes do amor. Está sempre ali, lado a lado, preste a manifestar-se a qualquer instante.
Um beijo!

duarte disse...

Sabe que copiei o hábito de transcrever diálogos de você. Só que você sempre me dá um baile rsrsrsr.

Ana Laura disse...

Eu concordo plenamente que o contrário do amor seja a indiferença. O ódio está totalmente interligado ao amor. Odiando, veneramos a pessoa, tanto ou mais do que quando amamos. É uma coisa obsessiva, doentia, que beira ao amor pelo excesso de sentimento. Já a indiferença é o oposto. Ausência de sentimentos. Pra mim, só esquecemos alguém de fato, quando nos sentimos indiferentes em relação a outra pessoa.

Amor e ódio são antíteses mas se assemelham muito, porque ambos denotam excesso de sentimento, como já disse.



Beijo.

Mary West disse...

Super concordo com o seu ponto de vista e como uma vez eu vi no filme Gilda, o ódio é um sentimento muito perigoso.

Desajustada disse...

eu concordo com a indiferença, e a distância que mantemos deles instiga a isso
beijos

pimentinhabm disse...

o q eh o amor???
so sei q sofrimento anda lado a lado!

Mary disse...

Eu também acho que o lance é viver o lado bom... e o lado ruim pra mim é indiferente! Se é indiferente... indiferença deve ser o contrário de amor mesmo!
Um beijo.
;)

Krika disse...

Também acredito que o ódio caminha lado a lado com o amor, estabelecendo uma relação mútua entre esses sentimentos. Aprender a enxergar sem deixar se levar pela emoção é o primeiro passo.

Beijão!*

PS: Como vc consegue bagunçar e arrumar o cabelo depois? Se eu bagunçar já era, rs.

Яoьεяτα disse...

Definição perfeita. Indiferença é muito pior q o ódio