domingo, 13 de janeiro de 2008

Injusto... injusto



Muito injusto.
Nina acorda com uma dor horrível no rim, estômago dando voltas e uma dor de cabeça histórica.
Ela se encolhe na cama enquanto lembra dos fatos da noite anterior. Promete para si mesma nunca mais beber vinho branco seco, beber cerveja, beber vodka e apenas beber coisas de criança.
Nina se recorda de como o "bagulho é injusto" e de como estava se divertindo conversando com o mala, o rapaz que todos diziam ser chato e arrogante... mas se mostrou muito engraçado e divertido. Ela sorriu enquanto se lembrava.
Sentiu uma dor no braço, olhou-o e viu uma marca vermelha e logo se recordou do puxão forte que levou, um semi-barraco legitimo e ela estava sendo a vitima fatal dos gritos.
Se encolheu mais ainda na cama.
Já é feio uma mulher dar barraco, mas um homem com barba na cara?
Nem ferrando!
"O que foi Nina? ta com vergonha que os teus fãs te vejam comigo? Não quer partir o coração de mais um? Deveria, você já é profissional!!!"
As frases estavam latejando na sua cabeça.
"Pare de agir assim seu boçal, mesquinho e idiota! Pare de ser mimado e incoerente e comece a agir como um adulto!"
Ó céus... Nina não aguentou as lembranças e gritou sozinha no seu quarto:
-CARALHO!
Ela estava sendo novamente amarrada e torturada com o seu passado. Nada poderia lhe ser pior.
Seus pais não entenderam muito bem o que estava acontecendo, nem quando ela gritou... muito menos quando ela pegou uma jaqueta colocou sobre o seu pijama e saiu todo descabelada pela rua.
Dez minutos depois:
-Olha aqui seu inconsequente sem noção! Eu estou tentando ser feliz, tentando ter paz sem você! Gostaria que você pudesse me respeitar uma vez na vida e pare de se meter na minha vida! Parasse de ficar me vigiando e dando showzinho no meio dos meus amigos!!!!
Coitadinha da menininha lá???? fode ela então, mais uma vez.
Mas ME DEIXA EM PAZ!!!
Eu juro, que se você se meter com os meus amigos mais uma vez, eu vou tornar a sua vida um inferno! Um inferno que você vai ter que chorar para poder sair.
...
Quinze minutos depois, Nina estava sentada na mesa tomando café com sua família, rindo e brincando...
...
-Nina!!! e eu disse pra ele bem assim:
"Não acredito no amor!"
-Pois é Helena, em alguma coisa na vida a gente vai ter que acreditar. No meu caso, acredito cegamente na inflação.
-E eu na deflação.

4 comentários:

Lana disse...

eu sei que vc vai resolver isso, por um fim no que te faz mal e optar pelo cara que vai te fazer feliz.
SORBATO NA VEIA!

Toop disse...

MEL DELSSSSSS DU SÈLLLLLLL!!!
*amarrando com força pra ver se a louca não surta mais.
Gesuizzzzzz.
Q horror!!!

CresceNet disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my site, it is about the CresceNet, I hope you enjoy. The address is http://www.provedorcrescenet.com . A hug.

Anônimo disse...

Hi,

I begin on internet with a directory