segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Minha vida sem mim




Sempre me vem a cabeça o titulo deste filme... a vida que vai acontecendo sem que você perceba que está perdendo dias preciosos da sua própria existência. Uma vida inteira sem você.
E é assim que eu vivia (ou achava que vivia), tudo lá fora mudando, evoluindo e crescendo... enquanto amargava paranóias de infância.
Um parente te olhou estranho? E daí?!!! Você é diferente e se sinta orgulhoso por ter feito esta pessoa ver algo além do dito "normal".
A pessoa que você ama lhe bota a boca e diz que tem um problema (e se surpreenda), o problema é você! Gostou de ouvir? Ta ninguém gosta. Mas ele (ela) está sendo sincero (a), apenas querendo o melhor para você mesmo que seja com as palavras mais ásperas.
Rodou em uma cadeira da facul? Ta, você vai ter que fazer tudo outra vez, gastar uma grana e olhar novamente a cara do mala do professor. Mas vai conhecer gente nova! Aprender tudo em dobro e provavelmente vai mandar muito bem desta vez.
Tudo tem um lado bom. TUDO! Onde só nos resta começar do zero.
...
Desta vez eu vou arrumar a postura, colocar todo o ar do mundo para circular aqui dentro, esticar bem meus dedinhos e me preparar para o pulo. Porque reza a lenda, que o cavalo que se chama "felicidade" passa só uma vez.
*Esticando os dedinhos...
Vou atuar como atriz principal da minha vida, torcendo para o galã ser bem bonitinho. (Risos)
*Esticando os dedinhos
De manhã enquanto tomava banho, repetia para mim mesma:
-Fundo do poço, Fundo do poço, Fundo do poço, Fundo do poço, Fundo do poço...
E foi então que percebi que eu era tão desgraçada, que no meu poço as paredes não era feitas de tijolos, mas sim de lama mesmo. Estava tentando subir e só o que consegui foi me enterrar mais.
Desisti de me debater e virei o meu rosto em direção da água, água nas narinas e logo após direto no pulmão... Desisto.
Acordei a mim mesma com um tapa bem no meio da cara, dois, três, quatro... dez. Me esbofeteei!
Começa então um violento monólogo onde, pela primeiras vez na vida a "Tatiani" abre a boca e praticamente da uma lição de moral na Toop. Assustador. A "Tatiani" é terrivelmente controlada e sensata e com uma direita de provocar pesadelos... Ela me da medo, muito medo.
Junto os cacos, abro a porta e dou de cara com o meu irmão, que imediatamente faz de conta que não existo e vira a cara. Nada mais resta.... vou para o quarto dizendo:
-Fundo do poço, Fundo do poço, Fundo do poço, Fundo do poço, Fundo do poço, Fundo do poço.
E uma direita tenebrosa bem no meio da cara... Ta! Parei! Eu juro que não me faço mais de coitadinha!
Agora, me pergunta o que eu prefiro... me fazer de coitada e ser espancada por mim mesma? ou reagir e seguir?
Que "cês" acham?
*Esticando os dedinhos.
Estou cansada de escrever, mas assim ó:
-Vou reunir minhas magoas, dores e infelicidades e transforma-las em coragem, força e felicidade! Porque eu já ouço os cascos e tenho que me preparar para segurar firme, só eu e meus dedinhos.

Um comentário:

Sorbato disse...

sempre reagir e seguir... sempre...
segura minha mão...
ah, comentário inútil... eu tenho um sabonete de pêssego