segunda-feira, 7 de abril de 2008

Joel e Clem.


Pensei em mil formas de começar escrever este texto, de ser objetiva, coesa e sucinta... Enfim, em formas coerentes de descrever a sensação de ter perdido um valioso momento. O instante preciso em que eu poderia ter lhe dito:

-Também lhe amo, muito.

Depois eu lhe escrevi uma carta (que bem na verdade parecia um manuscrito de tão extensa), com lindas frases... palavras sinceras que por algum (imbecil) motivo eu deixei de falar, deixei...

Uma carta que tinha como base bonitos sentimentos, verdades infindáveis e memórias já se apagando (ou querendo ser apagadas) nesta cabeça de vendo aqui.
Um moinho de vento por assim dizer.

Escrevi ao Joel que o destino é um moleque levado que adora nos passar rasteiras, nos deixa de cabelo em pé e desbarata nossas esperanças. O destino, este moleque travesso... que não nos permitiu vivermos tantos sentimentos existentes em nós, tantas coisas que não fora vividas por nós. Dois simples joguetes na mão deste menino sapeca.

Lembrei em um parágrafo do sonho de Sofia que tínhamos (ou pelo menos eu tive), uma linda e doce menina em um futuro, a nossa menina sonhadora que nos ensinaria a viver as nossas esperanças. Adeus Sofia. A pequena mocinha que viverá para sempre na minha imaginação volátil.

Mas enfim... Disse-lhe que desejo toda a felicidade do mundo para ele, toda a alegria existente neste mundo e muita, mas muita sorte nesta vida de meu Deus! Tudo de bom em um saquinho com laço de fita vermelho.

Joel, Joel, Joel...

Terminei escrevendo que talvez a vida nos afaste ainda mais, que talvez um se esqueça das manias do outro, da voz, do cheiro dos fatos do afeto. Mas que o amei, que quis mudar de vida por ele... E embora não tivesse dado muito certo, foi bom enquanto durou, vivemos tudo que tínhamos para viver e agora temos um longo (e espero que agradável) destino á nossa frente.

Joel, Joel, Joel...
E eu escrevi algo parecido com isso:
Joel, não se preocupe com esta Clementine que lhe escreve, pois ela é menina valente que só!
... Talvez não muito valente, mas esperançosa da silva e silva!

Neste domingo convidei Joel para escrever comigo no Toop, sei la... Produzir algo, fazer diferente. Ele aceitou, embora tenha muito pouco tempo.
Então...esperem. Pois Clementine e Joel se unirão uma vez mais por um bem em comum, uma causa nobre... e que será escrever, sonhar em letras e divagar em frases...
Breve.

"(...) Eu sou só uma garota ferrada procurando minha paz de espírito, não me encarregue da sua"(Clem)
... "Lembro muito bem desse discurso, e eu pensei que mesmo depois daquilo, voce poderia salvar minha vida."(joel).

Brilho Eterno.


15 comentários:

forever disse...

Toop, Toop...
a vida é tão ridícula às vezes... me vi tanto nas linhas e entrelinhas deste texto... porque tudo se encaixou tão bem, o brilho eterno, a minha filha que se chama Sofia, alguém que perdi pra sempre e acaba reaparecendo sempre como um fantasma brincalhão, tudo tão cíclico e desconexo, tudo tão... tão sinônimo de vida... loucura...
enfim
boa sorte na sua
;o)
bjos

Lorita disse...

Amei esse filme e gostei da tua inspiração em cima dele.


Bjm

Salve Jorge disse...

Brilho eterno
E terno
Em meio ao inverno
Ao acúmulo de neve
Em meio à tudo que não se deve
E ao que se teve
Quase nada foi leve
Uma mente sem lembranças
Aqui se escreve
E se trança
O que não se atreve
Enquanto o tempo avança
Um elípse descreve
Joel, Joel, Joel...
Dois pontos equidistantes
Num universo do mesmo lugar
Inigualável par
Tão discrepantes
Quanto amantes
Errantes
Pelo mar
Onde há
Quem queira afundar na escuridão do oceano
Não era esse o plano
Seguir à deriva
Sem lembranças
E deixar o vento
Soprando as cinzas
Brilho eterno...

Oliver Pickwick disse...

Por certo é um daqueles capítulos importantes da sua vida, mas que se amenizará até tornar-se uma nostalgia saudável.
Um beijo!

Lexotan disse...

esperando ansiosamente para conhecer joel
^^
=)
asdusahuishduihd

Geminiana Doce disse...

Toop querida!
Eu adorei esse filme,achei-o interessante e reflexivo.Vc como sempre arrasa hein?
...destino é um moleque levado que adora nos passar rasteiras, nos deixa de cabelo em pé e desbarata nossas esperança."
De mais essa frase!
Bjos e uam semana linda!

Cris disse...

pois é, tem que ser tudo bem aproveitadinho mesmo ...
ee o show foi muito bom siim ... obrigada pela torcida =)

adoreiii o texto tambem.
beiijoo toop

Lih disse...

ai que coisa mais triste!!!

ai que vontade de chorar...

=/

bjs

Geminiana Doce disse...

Toop tem desafio pra vc no meu blog...rsrsr.Passa lá depois...bjos

Falando de Amor disse...

Passando para apreciar teu conteúdo e conhecer você...gostei muito do que vi...bjos querida!

anita disse...

Imagens bonitas, belos protagonistas e frases que eu me identifiquei bastante.
Esse trecho do texto, pra mim foi bem forte: "Lembrei em um parágrafo do sonho de Sofia que tínhamos (ou pelo menos eu tive), uma linda e doce menina em um futuro, a nossa menina sonhadora que nos ensinaria a viver as nossas esperanças. Adeus Sofia. A pequena mocinha que viverá para sempre na minha imaginação volátil"

Não é um texto pesado, mas esse paragrafo me marcou bastante, acho que todo mundo tem seus sonhos... enfim.
Ps: As imagens são de algum filme?[Parece interessante]
;*

Lih disse...

que gracinhaa
me identifiquei.
:~

Geminiana Doce disse...

Toop vc viu o desafio no meu blog?rsrs
Não me digas que não quer responder??buááá...kkkkkkkkkk
Bjos e luz

Karina disse...

Texto, ao mínimo, muito bem escrito.
Há formas e formas de se encarar um amor...e o fim dele.
Bjinho

Anônimo disse...

necessario verificar:)