sábado, 10 de maio de 2008

Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças.


"Alguém já passou pelo mesmo que o personagem de Jim Carrey passou? Fazer de tudo para esquecer uma pessoa, ficar olhando para o nada enquanto ela passa ao seu lado, tentar se distrair com o relógio ao acordar para não lembrar com quem sonhou noite passada?

Desejar ficar Doente, bater a cabeça... Sofrer um acidente para esquecer...

São coisas ruins... Mas não tão ruins quanto se lembrar de um amor perdido...”

“É melhor nunca ter amado, do que ter perdido um grande amor.”

Uma amnésia. Era só isso que eu estava precisando neste momento. Uma perda voluntária de todas as informações obtidas nestes últimos anos da minha vida, uma borracha enorme que apagasse boa parte das coisas, boa parte do meu tudo.

Claro, seria uma grande perda em relação ao conhecimento que obtive nestes anos, tantos livros que li, tantas pessoas que conheci e tudo o mais de bom que aconteceu... Não ficaria nada, nem na cabeça... Muito menos no meu coração.

Tudo apagado.

Prefiro mil vezes perder as estórias de Lispector, os sonhos de Drummont, a clareza de Caio Fernando Abreu... Do que permanecer com esta intensa sensação de vida posta fora, amor não vivido e sonhos não realizados. Milhões de vezes o esquecimento.

Enquanto vejo o filme – Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças – me sinto completamente compreendida, exemplificada e explicada. A sensação de que só um milagre pode ajudar, ou como o filme mesmo diz: “um dano cerebral”.

E este é o filme da minha vida. O filme em que nada da certo em um relacionamento entre duas pessoas, duas pessoas bizarramente estranhas que decidem apagar suas memórias. Mas ao contrário do filme, nem tudo tem um final feliz... e no Brasil não há praias desertas onde a neve rola solta, onde o casal tema do filme se reencontra e por insistência do destino decidem tudo com um simples e poético: “OK”.

Ok.

E o Barone sempre canta: “a vida não é um filme”. Ela não é mesmo. Do contrário eu já teria entrado para o clube dos desmemoriados de plantão. Para o seleto grupo de pessoas que deixam o passado para trás numa boa, que alcançam o divino dom do esquecimento... As que possuem o Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças.

19 comentários:

Lexotan disse...

Sabe? estou tendeciando a colocar o amor em último plano. Depois de todas as batidas de cabeça tentando esquecer as coisas, não vale a pena esquecer clarice e nem caio, vai por mim. Uma hora aparece algo novo para voce quebrar a cara e o ciclo recomeça. Parece cômico falando, mas eu sei que não é.
Te cuide
=*

Lana disse...

bom. só posso te dizer uma única coisa, a única que consigo pensar agora depois de ter teu texto. só vai esquecer se quiser esquecer. e acho que tu não quer, minha flor.

she walks on me disse...

se a gente ficar pensando: "quero esquecer tal pessoa" estamos pensando nela, não estamos?
e não é só com os amores que as coisas funcionam assim, é regra geral mesmo.
a vida realmente não é um filme
=*

Bill disse...

Talvez deixar o passado numa boa seja possível, Toop! Como uma reconciliação com o que fizemos ou fizeram de nós! Quanto a esquecer, acho que não dá. Sempre volta. Mais cedo ou mais tarde!
Bjoooooooossssssssss!!!!!!!!!!

Nataliinha disse...

Uma amnésia. Era só isso que eu estava precisando neste momento. Uma perda voluntária de todas as informações obtidas nestes últimos anos da minha vida, uma borracha enorme que apagasse boa parte das coisas, boa parte do meu tudo

Falou tudo o que eu queria falar,sério .
To querendo muiiito esquecer certas coisas, pessoas e lembranças . PRINCIPALMENTE PESSOAS E LEMBRANÇAS .
Nunca vi o filme. Vou tentar ver .
Bjs =)

Alice Reis disse...

oh meu deus! como eu queria perder a memoria! como eu queria! =/

[adorei a foto nova do perfil!.. rs]

bjooos

Mary West disse...

Tb supere preciso passar nesta maquina. As vezes as lembranças machucam tanto q era melhor não ter vivido.

Lorita disse...

O jim Carey é um dos meus atores preferidos. Vi o filme e realmente é de uma profundidade que chega a doer, em si tratando do sofrimento que a paixão nos causa.
O que posso lhe dizer qto a isso?
Tenho so uma palavra pra vc: TEMPO!
Ele cura tudo, amada, mas tem seu modo de trabalhar...

Bjm

Mary disse...

Eu não sei quantas vezes eu já vi esse filme... em várias fases da minha vida. E a sensação de que ele SEMPRE se encaixa é total...
A-mo!

Beijinhos.

PS: parabéns pelo dia 7... pelos 20!

Krika disse...

Assisti esse filme na semana retrasada. Será que realmente (assim como no filme) vale a pena esquecer os momentos que vivemos ao lado de alguém? Nunca esqueça que ao apagar todas as lembranças, os bons momentos também vão juntos. Mantenha seu foco no futuro e a cabeça no presente.

Beijão! ;)

juliabarrosna disse...

quero muito assistir esse filme, só nao consigo acha-lo =/

eeee você tentou esquecer? e quer mesmo? ... eu sei, as vezes é bem dificil, mais tem que tentar nao é mesmo?

beiijo toop

Janete Andrade disse...

é exatamente isso q estou precisando no momento, uma amnésia, esquecer tudo!
todos os amores, todas as decepções, todas as mágoas, todos os fracassos, enfim TUDO.
desintoxicar-me das impurezas do passado! =$

PERFEITO o post...

;***

Salve Jorge disse...

Não esquece
Mesmo se melhor parece
Mesmo se não mais te apetece
Mesmo se é a tua prece
Não esquece
Mesmo se ele não te merece
Se a lembrança não arrefece
Se a bebida não desce
Se o peito ainda padece
Não esquece
Não esqueça
Por mais que o peito padeça
Que o sujeito sempre apareça
Que doa a cabeça
Teu brilho eterno
De uma mente tão cheia de lembranças
Pode não ser terno
Mas é o tempero do sabor de suas andanças...

Storyofprincess disse...

Oii
que interessante aqui, gostei dos trechos, boa sorte pra vc!
bjss =]

Storyofprincess disse...

Oii
que interessante aqui, gostei dos trechos, boa sorte pra vc!
bjss =]

Lih disse...

se eu tivesse uma amnésia agora, todos os meus problemas estariam resolvidos.
talvez seja essa a solução pros meus problemas mesmo.
:I

beijão, querida.

Desajustada disse...

ahh adoro esse filme...
� pode ser q a amnesia seja um curativo para nossas feridas,por�m sem as feridas como o organismo aprende a lidar com a dor?

beijos

Lorita disse...

Oie!
Tem presentinho pra ti no Vestido, tá?
Bjm

Ana Laura disse...

Quem me dera. Esse filme é lindo e me deu muita vontade de uma amnésia repentina tamém. -pausa pra bater a cabeça- nem é, mas é que esquecer às vezes é tarefa árdua!


Beeijo.