segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Para o céu.


Tenho me sentido tão pequena diante do mundo, com as pernas e braços amarrados para todas as possibilidades que estão surgindo. Sinto-me podada para o que é novo e maravilhoso na minha vida.

Eu quero viver.

Passei a vida toda dependente demais de alguém, depositando todas as expectativas em um ser humano só, e o pior, em alguém que não em mim.

Quero voar.

Meu pai não viu um montão de coisas, não teve tempo nem liberdade para sair pelo mundo, para fazer coisas novas ou ser diferente. Sobreviveu dia após dia sendo certo, honesto e cheio de virtudes, para não servir de mau exemplo para quem quiser que seja, e até hoje, eu não sei quem ele achava que estava enganando. Eu que não era.

Não me enganei com ele e nem comigo mesma. Sei que não quis de verdade todo aquele sonho de vida “normal”, só embarquei naquela por saber que mais cedo ou mais tarde, minha gana por liberdade me salvaria. Eu me salvei.

Vou sair fazendo e vivendo. Sendo o mais honesta que posso comigo mesma e com os outros, ser melhor e maior. A vida é uma só, não é fácil, mas tem sido incrível. Pena que é uma só, que tenho só uma dela para marcar o mundo, para ser inesquecível e única, para aprender a voar sem asas. Uma só. Uma bala no revólver, sua chance de acertar o alvo ou o inimigo, salve-se com ela ou se perca se não tiver coragem. Eu? Eu apertei o gatilho... Coloquei o pé no acelerador e saí vivendo.

Pai. Essa vai pra ti.

9 comentários:

BetA disse...

Ai que lindo Toop!

Fico tão emocionada qndo vc fala do seu pai...
É pq sempre q vc fala dele eu te vejo assim, tão borboleta...

Siga em frente mesmo!sem tentar arrumar a bagunça que ficou pra tras. Isso é pra qndo a gente for idosa
;)

***

Salve Jorge disse...

Mesmo pequena
Mesmo com tanta novena
Mesmo parecendo que poderia ser mais plena
Eu sei que quando a vida acena
Vossa excelência sem nenhuma pena
Se joga
E até quand se afoga
Enquanto esse povo aí todo roga
Por caridade
E você devorando a cidade
Superando as vãs necessidades
O limite homogêneo das verdades
E não por estar na flor mocidade
Não porque seu pai foi diferente
Nem muito menos pra atender sua sede tão exigente
Ou por seres simplesmente inconsequente
Mas sim
Porque não dá pra deixar pro fim
Pra aproveitar as maravilhas desse jardim...

Thainá Vivas disse...

Sei bem do que esta falando... =/
Daqui para frente, continue dependendo demais de alguem, mas esse alguem eh vc e soh vc!
Bjo carinhoso!

Dani Abadie disse...

Agente se liberta, quando é maduro o suficiente pra se libertar. Não é o mundo que nos faz preparados, nos que precisamos nos preparar!


Bjo grande =*

Marcos Miorinni disse...

Oi Toop, devido a um problema com o Template do Ad hunc modo
o mesmo passa a ser público, aguardo você por lá ok e me desculpe o transtorno.

abraços
Marcos Miorinni

Nathália disse...

Já tentei tanto ser normal.
Assim, normal na concepção dos outros.
Já tentei sei bem falada e bem amada.
No fim das contas, cansei.
Porque não sou assim. Tipo, não sou polêmica, mas quase tudo o que eu gosto e apóio ofende a outras pessoas.

Um saco. Mas até que eu gosto.

Nathália disse...

ser*

Nataliinha disse...

Eu tb quero voar
E saiba q onde ele estiver, vai ta olhando por vc;

Beijos =)

Sammyra Santana disse...

"e o que queria era mostrar pra toda gente que não precisava mostrar nada pra ninguém"...
vive Toop! vive intensamente, se importando tão-somente em ser feliz e que essa felicidade não emperre a felicidade dos outros!
Ler seu post me deixou com saudades do meu pai...
Beijo