sábado, 22 de agosto de 2009

Way Back in to Love



Sou uma pessoa calma, mas que durante raras vezes, quando provocada, sai de si e faz da vida de quem estiver por perto um inferno. Não só a vida de quem está por perto, mas a existência pacifica de alguns que eu nem lembrava mais e até tinha feito questão de esquecer e apagar o número... Pinto e bordo com meia dúzia.

Nesta sexta mesmo, fui provocada por um rapaz. Que sem saber dos resultados (dentro de mim), foi embora com um sorriso no rosto e mais um ponto para contabilizar. Acabou com a minha paz, pensando que somente ferira o meu ego... Feriu, destroçou e jogou fora.

Após o maremoto, só me restava me jogar na primeira confusão que meus dedos pudessem alcançar agarrar e arranhar até tirar pedaços. Mudei a rota. Saí da clássica noite de Porto Alegre e fui para uma cidade universitária distante do meu velho cenário de desordem.

Admito que me irritei muito com algumas coisas que aconteceram, mas em compensação, dancei até os meus ossos doerem. Provoquei uma briga com um casal de ex-namorados, que pelo que pareceu a menina ainda não tinha aceitado o posto de “passado”, bebi (pra variar um pouco), conheci o homem mais lindo e misterioso que os meus olhinhos tiveram o prazer de vislumbrar na vida, cantei e fui feliz por mais um dia.

Se lançar ao desconhecido... Eu sou boa nisso.

E após a (fantástica) noite que tive neste final de semana, rebato a afirmação do meu amigo, que diagnosticou a minha fobia completa de todos os tipos de laços e relacionamentos, me dizendo que fujo das pessoas... Eu fujo? Não me deixo afeiçoar por medo? É isso?

Porque se for isso, ele está totalmente errado. Pois a única coisa que penso agora, é em uma forma possível e real de desvendar o mistério daquele rapaz... E ver até onde esses “laços” com ele podem me dar um nó.

5 comentários:

Gabi Magnani disse...

Incrível, garota! Adorei as palavras, as expressões. Ficou bem subjetivo. O jeito como você fala "provocada" deixa tudo mais misterioso. Eu gostei muito do final também. Parabéns, ótimo texto.

Danielle Abadie disse...

Eu certamente poderia roubar tua narrativa e dizer que se trata de uma das minhas histórias noturnas. Gaúcha, então? Podia ter percebido isso antes nas entrelinhas, mas não percebi. Então dividimos mais do que o gosto pela escrita, dividimos o mesmo cenário Toop. ;D

Karina disse...

Ui, ui...hein!
kkkkkkkkkkkkk
É...tem homem que tem o dom msm. Porque mexer com alguém dessa maneira é um dom. Ou tu tem ou tu não tem. Ou nasce com ele ou te fudeu, pq isso não se aprende.
Good Luck!
=*

Salve Jorge disse...

Se houver um império
Pra trás desse mistério
Não vai ter metade da graça
Por mais que se faça
QUe o mistério em si
MAs boa sorte pra ti
Que faz laços
Divide os passos
Compartilha a cachaça
É verdade que confusões traça
Mas com certa gentileza
És das que tem a fineza
De o mundano desinventar
Coisas de gente ímpar
Em um mundo par
Que nem por isso
Deixas de somar...

Geminiana Doce disse...

Toop, Toop!!!
O DESCONHECIDO GERA A VONTADE DE CONHECER NÉ?
EU ESSE FDS FUI ALÉM DOS MEUS LIMITES TAMBÉM E BEIJEI NA BOCA DE UM GOSTOSINHO!!!!!RSRS
GOSTOSINHO E DESCONHECIDO....AI DELICIA!!!
PAZ E LUZ