sábado, 12 de dezembro de 2009

8, 9 e quase 10.






 Posso claramente dizer que 2008 foi o pior ano da minha vida, mas não tenho direito algum de afirmar o mesmo de 2009. Pois este ano foi, sem que eu pedisse ou fizesse esforço, um dos melhores anos que tive.
Aprendi muito. Não tenho como medir ou explicar as coisas que aprendi. Mas vou ventar:
- Aprendi que no final das contas: Sou eu contra eu mesma. E que embora eu tenha muitos amigos, na hora do aperto, apenas eu poderei me ajudar;
- Compreendi que amores nunca morrem;
- Descobri que amores mudam para poderem viver, alguns diminuem e que os aumentam precisam de vigia para não quebrarem as janelas.
- Descobri que eu preciso de solidão e tempo para respirar;
- Depois eu descobri que respirar não me ajuda a pensar melhor, mas me dá tempo parar bolar uma boa desculpa;
- Achei um caminho;
- E perdi... Porque futuro é muito incerto;
- Compreendi que não posso me deixar aprisionar. Do contrário, quando respiro, explodo... E após uma explosão, é muito complicado se manter a mesma pessoa.
- Eu sei ser gentil quando quero... Mas quando sou má, chego quase à perfeição.
E o mais importante:
- O importante é invisível sim... Mas sendo invisível, ele se perde muito facilmente.




Um comentário:

BetA disse...

Impressionante. Resumiu o ano a Maria aqui...