quarta-feira, 16 de janeiro de 2008




Nina abre o baú, a poeira lhe corrói as narinas e as lembranças lhe trituram o peito.
Algo parecido com isso:
...

Ele foi um acaso. Desses únicos. Desses necessários.
Meu melhor troféu cazuzista. Daqueles que se ganha em madrugadas/manhãs loucas e travadas, quentes e molhadas. E que, por um detalhe, passam a ser diferentes. Outro sabor. Outra charmosidade. Outra cremosidade.
Menino do sorriso bonito. Do olhar que me acalma. Menino deliciosamente meigo. Estupidamente querido. Meu menino, das estabanações, da cumplicidade, da amizade, da afinidade, da fidelidade, do respeito.
Menino Homem. Comportado e devasso. Santinho e depravado. Responsável e inconsequente. Amável e amado. Tudo nas doses certas. Um abusinho aqui, outro ali. Mas sempre Ele.
Ele das noites de coisas interessantes. Das de indiadas tremendas. Das de manhãs com ressaca do mundo. Das de chorar abraçado. Ele de esperar o outro dia. De esperar voltar do trabalho. Ele das manhãstardesnoites libidinosas.
Ele é de fazer almoço às quatro horas, da tarde ou da manhã. Ele de passear balançando as mãos dadas feito crianças de desenho animado. Ele da sobriedade pesada feito filme francês.
Homem independente, durão, insensível... mas nem tanto. Quebrando o gelo inicial, é doce.
Mas calmo. Tempo ao tempo. Com Ele o exagerado está um pouco remediado. Vivendo menos os excessos do mundo. O tudo ao mesmo tempo agora. É clichezão, mas, juntos, ainda estamos virando a primeira página. Pela frente, enorme livro. Desses de páginas grandes, brancas.
No fim das contas, o que eu queria dizer é o seguinte: Eu não presto, mas eu te amo.



8 comentários:

ana disse...

cara, que texto mais maravilhoso
acho que é porque fala de coisas tão pequenas. de atos tão simples, mas que na verdade têm um imenso significado em nossas vidas.
eu me identifiquei totalmente, e fiquei de boca aberta de pensar em como os sentimentos que o amor aflora nas pessoas, é tão parecido e diferente a sua maneira.

forever disse...

putzzzzzz,
amei isso que escreveu.
muito, muito bom.
vlw pelo coment...
você escreve muuuito.
beijos

Geminiana Doce disse...

Adorei seu texto....
E que bom saber que também curte o filme...Será que essas clinicas existem mesmo???kkkk
Queria o endereço de uma.....kkkk
Brincadeira...a vida é feita de memórias boas e más e sou feliz com as minhas...
Aparece sempre viu???
Bjos

Duarte disse...

Obrigado por ter visitado meu blog e deixado seu comentário, gosto muit desta música e acho a imagem muito bonita mesmo.

Amanda Meirinho disse...

é BEM mais complicado, porque envolve perder um grande amor, uma casa, independência, 95% do meu projeto de vida e 155% da minha auto-confiança. enfim, pra mim, não deu nem tempo ainda de chorar. agora é hora de crescer pra valer e nunca mais achar que dá pra depender de alguém. é hora de levar porrada. tomando cuidado só pra não enlouquecer. =)

Jana disse...

Um belo texto, tantos não prestam mas amam...

beijos

Jéssica Rose disse...

uahuahuahuah
pirônico

Tomé, Ricardo disse...

a tua escrita agrada-me. nao so por ser bonita e agradavel, como por ter fundamento. assim como os outros, tambem este é de qualidade acima da média. beijinho, tomé