domingo, 13 de abril de 2008

O Sinal.


Tem vezes... sim, sim! Tem vezes que sei muito bem o que quero da minha vida. Sei exatamente qual é o paço que vou dar, qual o rumo que seguirei após a próxima curva e saberia caminhar de olhos fechados sobre uma corda estendida de uma ponta á outra no despenhadeiro.
É eu saberia sim.

Mas o que me encanta, o que me atrai é o desconhecido da vida, o não-saber-de-nada do amor e o “ai meu Deus o que é isso?” da paixão. Encanta-me mais que demais!
Acho que me gusta usted.

Sinais são coisas muito curiosas, muito misteriosas e que me apavoram o tempo todo. Pois eu vivo querendo tê-los para que assim meu caminhe se torne menos turvo, para que se abra uma janela (ou porta se eu tiver muita sorte).
Então eu estava lá, pensando sobre meus atuais problemas (pois problemas são mutáveis, mudam e transmutam-se para melhor perturbar-nos), então peço aos céus um sinal:

-MELDELSDUSÉL!!! Um sinal para filha aqui! Qual caminho á se seguir? Qual o rumo que devo dar a este coraçãozinho de papel? Uma mãozinha ó senhor!!!
E termino a frase dizendo em voz baixa:
-Droga... vou me acabar de beber isso sim.

Quando, minha mãe abre a porta e grita:
-Toop! Um presente pra vocêêêêê!!!! Fecha os olhos!!!

Eu fui né. Resignada e obediente fechando os olhinhos, só abri quando a fada madrinha aqui de casa ordenou. E... ó céus! Fiquei alguns segundos sem conseguir falar, apenas olhando para “aquilo” na mão da maedrasta (pois o presente caiu como uma bomba na minha cachola).
Era um cactos!!!! E eu só consegui dizer:
-Abdullah????

Agora que meu cérebro já processa melhor as informações, eu só consigo ver o COMO Papai do Céu foi sacana comigo, foi cruel. Isso é para que eu pare de uma vez por todas de fazer estas bichices de pedir sinal para os céus... Sabe por quê? Porque:
•Minha mãe não gosta de plantas (ainda mais das exóticas) e me deu um Cacto de presente! (isso é presente que se dê?).
•É... e eu tenho sim, um amigo que tem um cactos de estimação. E o nome do Cacto é “Abdullah”.
Ô sinal besta que só!

É... um novo caminho (valeu pelo empurrão Senhor!!!). Onde hei de cuidar muito bem do meu Cacto (que eu ainda não sei qual nome dar), reinventar amizades e tentar não saber qual caminho seguir... tentar não distinguir de cara o meu destino... tentar começar do zero.

Agora só me resta o: não-saber-de-nada do amor e o “ai meu Deus o que é isso?” da paixão... claro, claro... novas paixões com novos sonhadores (pois figurinha repetida... só se for cromada!).

12 comentários:

Super Nada disse...

Engraçado jovem, o seu post está totalmente relacionado com meu estado de espírito atual... eu acordei pensando nos meus caminhos e no fato de que por mais que eu saiba estar errado, nunca fico em dúvida do que vou fazer...meio louco né?

To gostando muito de vir aqui e ler o que você escreve. Valeu por continuir com esse meu vício de blogs...

Mary West disse...

Vc escreve muito bem! E essa melancolia toda ah de passar, sofres de um mal até meio q comum, o de pensar demais! Isso é bom isso é muito bom. ;)

Nathália disse...

"pois figurinha repetida... só se for cromada" Rachei de rir!

Por que sua mãe te deu cactos?
E eles precisam ser regados com frequência? Sei lá, né... São cactos.

Essa coisa de pedir sinais de Jeová, cara, não dá certo.

Beijo! Beijo!

Ps.: Uma fofura seu blog!

Mary disse...

O foda é ter que esperar pelo destino... Bem que podiam nos dar uma máquina do futuro só pra gente poder dar uma espiadinha e ver se daqui a alguns meses as coisas estão mais 'emocionantes' né?
Ah... os sinais que eu 'acho que recebo' são mais ou menos como o teu cactus... vêm do nada e eu nunca sei o que significa! hahahaha
Beijinhos e ótimo início de semana.
;)

Lana disse...

miga, passo com "ç" não dá.

Lana disse...

mas tenho uma sugestão de nome pro cacto. podia ser Conrado, que acha?

duarte disse...

Ela estava se referindo ao Paço Municipal, alí no fim da Borges...

O cacto podia ser Astrogildo, não seria legal!!!

Desajustada disse...

rerê.
eu vivo pedindo sinais e geralmente eles acontecem..
e essa histórinha de começar do zero sei beem como é...
muito tenso diria.
beijos

Cris disse...

hahahahaha que demais, um cacto de estimação, nunca pensei nisto. mais gostei da ideia ...

da um nome logo para ele, e posta aqui :)

eee obrigada pelo comentário no blog...

beijo toop

Lih disse...

hahahahahahahaha

esse da figurinha repetida vou usar tb!!!.. perfeito pra mim!...rsrs

bjoooooooooooo!

Oliver Pickwick disse...

Este é o legítimo "sinal de grego".
Quanto ao cacto, poderia chamá-lo de Conselheiro, por causa de Antônio Conselheiro, aquele beato louco e visionário do Raso da Catarina - a caatinga mais seca do Brasil, e que disse que "o sertão vai virar mar, e o mar vai virar sertão. E pelo que dizem os ecologistas, o cara não era assim tão louco como se pensava.
Para saber mais de Antônio Conselheiro, leia Os Sertões, de Euclides da Cunha.
Se por acaso assistiu ao filme "baseado" nesta obra, e interpretado [pessimamente, aliás] pelo José Wilker, esqueça tudo que viu.
Este cacto rendeu, hein? Talvez seja de fato um sinal ;o)
Um beijo!

aurélio disse...

"passo" ("paço" é outra coisa). que falta de uma boa aula de português.