domingo, 20 de setembro de 2009

Pause




Minha vida estava a mil por hora, sem certeza alguma e
sentido concreto... Apenas a diversão era o que me interessava.

E essa vida estava tão doida e divertida, que não me lembrava do passado e nem procurava
arquitetar o futuro.

Quando me disseram que o viram. Parei, olhei o horizonte e
suspirei:

- Ele está feliz?

5 comentários:

N. Mylonas disse...

Não sei dele, mas eu não estou.
Lembrei de vc ontem. Na bienal estava vendendo uns livros do Caio F. Abreu.
Vc gosta né ?

beiijos

Marii disse...

Que perfeito esse seu pensamento, as vezes não conseguimos evitar de pensar, será q ele está feliz, mesmo sem mim? Porque nos sentimos tão bem sem nem lembrar dele, e de repente, vem a tona antigas lembranças, que nos fazem pensar, e eu, estou mesmo feliz, sem ele?

Salve Jorge disse...

"não pare na pista
É muito cedo pra você se acostumar
Amor nao desista
Se você para o carro pode te pegar

Você me xingando
De louco pirado
E o mundo girando
E a gente parado
MEu bem me dê a mão
Que eu vou te levar
Sem carro e sem medo
Pra outro lugar..."

Vanessa M. disse...

Arrepiei quando li.
sei lá, não sei explicar...

mas é tão sutil, lindo

Í.ta** disse...

é sutil mesmo.

é bonito.

é.

não precisa mais.